01 nov Dicas para escrever bem o TCC e os 5 erros de português mais comuns

Você já escolheu o tema e o grupo do seu Trabalho de Conclusão de Curso e chegou a hora de colocar no papel o conteúdo que o levará à última etapa rumo ao diploma. Além das informações propriamente ditas, o texto do TCC deve ser preciso, escrito de forma objetiva, para que não haja dúvidas em relação ao que se deseja expressar. Por isso, vale seguir algumas dicas para escrever bem o TCC e fugir dos erros de português mais comuns. Com atenção, planejamento e capricho você fará um trabalho memorável e digno de um 10. Vamos começar?

 


PREPARE O PAPEL E CANETA PRA ANOTAR TODAS AS DICAS!

 

Conheça as regras da sua universidade

De acordo com Rachel Polito, autora do livro “Superdicas para um TCC – Trabalho de Conclusão de Curso Nota 10” (Editora Saraiva), o primeiro passo é saber os tipos de TCC que a faculdade permite, para escolher qual é o modelo de trabalho que melhor se encaixa com sua proposta. “Pode ser um estudo de caso, um projeto experimental ou uma monografia”, lista Rachel.

Fique atento às normas da ABNT

Antes de iniciar a redação do TCC, é fundamental conhecer as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas, que indicam a forma como o trabalho deve ser apresentado. Vale entrar no site da entidade (www.abnt.org,br) para ler na íntegra, mas, basicamente, o TCC deve ser dividido da seguinte maneira:

Capa: nome da instituição, curso, autor, título do trabalho, cidade e ano.

Folha de rosto: nome do autor, título, cidade e ano e uma breve nota descritiva, que deve conter o objetivo do trabalho e o nome do orientador.

Dedicatória/agradecimentos: página em que o autor presta homenagens e faz agradecimentos.

Resumo: texto, de 150 a 250 palavras, que sintetiza em um único parágrafo as ideias principais do trabalho.

Sumário: enumeração das páginas e as respectivas seções do trabalho.

Introdução: texto com os temas tratados no trabalho, além da justificativa e do objetivo do TCC.

Desenvolvimento: a principal parte do trabalho, que deve conter a exposição do assunto enfocado de forma detalhada e completa.

Conclusão: fechamento do TCC, que trata novamente sobre o tema central e os resultados.

 

 

Quanto mais leitura, melhor.

Leia muito

Não tem segredo: para escrever bem o TCC – e textos em geral – é preciso ler, e muito! Somente a leitura constante lhe dará subsídios e referências na hora de colocar suas ideias no papel. Ler com frequência ajuda a aumentar o vocabulário e fixar as regras gramaticais de forma natural, sem você perceber. E mais: a leitura amplia o conhecimento e lhe proporciona argumentos para escrever melhor e com consistência.

Deixe de enrolação, seja objetivo!

Não use três palavras se você pode escrever apenas uma para expressar uma ideia. Exponha as informações de forma clara e direta. Um texto bem escrito é um texto simples, de maneira que o leitor não precisa se esforçar para entendê-lo. A escrita simplesmente flui.

Use palavras de transição

“Mas”, “então”, “logo” e “porém” são palavras que, quando bem colocadas, possibilitam escrever frases mais curtas, resultando em um texto mais fácil de ler. Além disso, ligam uma frase e outra ou um parágrafo e outro, importante para dar sentido e continuidade.

Evite frases longas

Um texto com orações curtas é mais prazeroso e inteligível. Para isso, lance mão das palavras de transição, vírgulas e pontos como forma de separação.

 

 

Não precisa bancar o Nerd e tentar escrever tudo rebuscado porque o texto pode acabar ficando meio chaaaaato…

 

Não use palavras difíceis

É um enorme engano achar que texto bom é aquele cheio de palavras rebuscadas. Pelo contrário, essa prática só torna a leitura chata. Mas isso não significa empregar sempre as mesmas palavras. É importante também evitar repetições ao longo da redação. Os vocábulos escolhidos para essas substituições devem ser simples. Trata-se de um cuidado que enriquece a escrita.

Revise a ortografia e a gramática

Por mais cuidado que você teve ao escrever, um errinho ou outro pode ter passado. Por isso, releia algumas vezes seu texto e, se possível, peça para alguém confiável fazer uma revisão. Um outro olho pode ver um erro que passou despercebido por você.

E, já que falamos em erros de português, vale conhecer os cinco mais comuns para evitá-los:

1 Usar indiscriminadamente a palavra “que”.

É muito comum lançar mão do “que” para substituir qualquer pronome ou palavras que funcionem como pronome, como “onde”, “em que”, “ao qual”, “cujo”, dentre outros. Por exemplo:

Errado: “O restaurante que ele foi.”

Certo: “O restaurante ao qual/onde ele foi.”

2 Não colocar o verbo no plural quando aparece antes do sujeito (que está no plural) na frase.

Errado: “Chegou duas encomendas para você.”

Certo: “Chegaram duas encomendas para você.”

A dica é: da próxima vez em que você for escrever uma frase com verbo antes do sujeito, coloque-o depois e veja se faz mais sentido.

3 Desconhecer o uso da crase.

As regras para entender quando podemos e não podemos crasear são simples, mas a principal é: usa-se crase somente antes de palavras femininas.

O “a” craseado, ou seja, com o acento grave, é a mesma coisa que o “ao”, só que para objetos femininos. Veja o exemplo:

“Estou indo ao cinema”. Repare que cinema é um objeto masculino, por isso o “ao”.

Agora veja: “Estou indo à farmácia”. “Farmácia” é um objeto feminino, então usamos a crase.

Um truque legal para não errar é fingir que o objeto é masculino. Veja:

Você está na dúvida se na frase “A Tais disse à Maria que tirou 10 na prova” esse “a” é com ou sem crase. Basta substituir o objeto feminino Maria por João e ver se, nesse caso, pode-se usar o “ao”: “A Tais disse ao João que tirou 10 na prova”.

O “ao” faz sentido na frase, então aquele “a” é craseado.

4 Escrever “no” ao invés de “ao”.

“No” tem sentido de “dentro”, e “ao” tem sentido de “para” ou “em direção a”. Veja:

Na hora de falar, quase sempre dizemos “Vou no banco”. Mas na hora de escrever, o correto é “Vou ao banco”, pois você vai para/em direção ao banco.

Por outro lado, seria correto escrever “Vou buscar meu cartão no banco”, porque você vai realizar a ação de buscar o cartão efetivamente dentro do banco, e não em direção/rumo ao banco.

5 Esquecer o acento circunflexo no plural do “tem”.

Esse é bem simples de mostrar.

Errado: “Elas tem muitos livros.”

Certo: “Elas têm muitos livros.”

 

 

Sensação de dever cumprido!

 

Bom, agora que você conhece os erros de português mais comuns e as dicas para escrever bem o TCC, mãos à obra para arrasar e prepare-se para colocar as mãos no sonhado diploma da universidade.

E já que você vai arrasar no seu TCC, que tal também levar a galera ao delírio com um discurso de formatura inesquecível? CLIQUE AQUI e descubra todos os truques para fazer qualquer um se emocionar!

 


Conteúdo desenvolvido pelo Grupo Promove – Empresa de Formatura Rio de Janeiro. 
A reprodução integral ou parcial só é permitida com o devido crédito.